O que é a VAQUINHA DOS NOIVOS?


– Tradição X polêmica

Cortar a gravata do noivo é uma brincadeira com a finalidade de arrecadar dinheiro para a lua de mel dos noivos. Já faz parte da cultura brasileira e começou com uma brincadeira em uma festa de casamento na década de 50, quando os convidados acertavam a troca de prendas pelo corte da gravata. O tempo foi passando e as prendas viraram números reais, ou melhor, "Reai$". Hoje é uma brincadeira polêmica para alguns, deselegante e constrangedora para outros, divertida para quem participa.

Devido a essa polêmica resolvi inovar na festa de casamento da minha filha, criando a VAQUINHA DOS NOIVOS e presenteando ao meu genro. Foi bem divertido, ninguém se sentiu constrangido e nem recebeu retalhos da gravata dele. Detalhe, os homens não foram os únicos a participar, as mulheres e as crianças fizeram questão de entrar na farra da vaquinha, pois a linda pelúcia foi sorteada no final entre os participantes.
Então, não corte a gravata do noivo, faça uma vaquinha!
Substitui a gravata do noivo na hora de arrecadar a contribuição para a Lua de mel com muita farra e graça.
Dei o nome e imagem de uma vaquinha pelo sentido da "intera", do ato de inteirar, caracterizei a vaquinha de noiva para encantar aos noivos e seus convidados, acho que consegui!  Compre aqui

Outras tradições

Vestido da Noiva

Em Portugal o típico vestido de casamento, antes do século vinte, era tradicionalmente preto. O primeiro vestido branco foi adotado em Inglaterra pela Rainha Vitória, no século XIX, quando se casou com o seu primo, o príncipe Albert.
O Buquê

Os primeiros buquês de noivas incluíam não apenas flores, mas também ervas e temperos. Os mais populares geralmente com cheiro mais forte, como os alhos eram usados para espantar os maus espíritos. As flores tinham cada uma, seu significado: hera representava fidelidade; lírio a pureza; rosas vermelhas o amor; violetas a modéstia; não-te-esqueças-de-mim era o símbolo de amor verdadeiro; flores de laranja davam fertilidade e alegria ao casal.

Véu da Noiva

O uso do véu da noiva era um costume da antiga Grécia. Os gregos acreditavam que a noiva, ao cobrir o rosto, ficava protegida do mau-olhado das mulheres e da cobiça dos homens. Tinha ainda um significado especial para a mulher: separava a vida de solteira da vida de casada e futura mãe.

Grinalda

Distingue a noiva do resto dos convidados. É ainda símbolo de status e riqueza. Quanto mais luxuosa, mais poderosa é sua dona.

NEVU – Novo, Emprestado, Velho e Usado

Segundo uma antiga tradição inglesa a noiva deve usar “Something old, something new, something borrowed, something blue”.
Algo novo: o vestido, a roupa íntima, os sapatos.
Algo antigo: uma jóia, os sapatos.
Algo emprestado: uma bolsa, as luvas, um véu.
Algo azul: A LIGA AZUL

Aliança

A aliança representa um circulo, ou seja, uma ligação perfeita entre o casal. O círculo representava para os Egípcios a eternidade, tal como o amor, que deveria durar para sempre. Os Gregos, após a celebração do casamento, utilizavam anéis de íman no dedo anelar da mão esquerda, acreditando que por esse dedo passa uma veia que vai direta ao coração. Mais tarde, os Romanos adotaram também esse costume, que se manteve até aos dias de hoje.

“Pode beijar a Noiva!”

Muitas culturas acreditavam que quando os casais se beijavam no final da cerimônia, suas almas também eram compartilhadas.

Arroz

Tem origem asiática, onde o arroz é sinônimo de prosperidade. A tradição de atirar grãos de arroz sobre os noivos, após a cerimônia nupcial, teve origem na China, onde um Mandarim quis mostrar a sua riqueza, fazendo com que o casamento da sua filha se realizasse sob uma "chuva" de arroz. Hoje atiramos arroz aos noivos após a cerimônia como sinônimo de fertilidade, felicidade e prosperidade.

Moeda no sapato da Noiva

Esse antigo costume servia para acalmar a deusa Diana. Segundo crenças, ela ficava nervosa quando uma mulher perdia a virgindade. A moeda servia para lhe esfriar os ânimos.

Flores no Caminho

Você sabia que os antigos romanos tinham o costume de atirar flores no trajeto da noiva, acreditando que as pétalas fariam a noiva ter sorte e dar carinho ao marido?

Bolo de Casamento

A tradição de oferecer bolos em datas especiais é antiga e sua origem mais provável vem do uso do trigo, ingrediente principal da massa, que é também símbolo de prosperidade e fertilidade, se tornando um verdadeiro amuleto de sorte para o casal.

Nas cerimônias de casamento da Grécia Antiga os convidados recebiam biscoitos feitos com a mistura de gergelim e mel, remetendo ao casamento que tem seus momentos doces e salgados.
Segundo uma tradição romana, partir um pequeno pedaço de pão sobre a cabeça da noiva era uma maneira de desejar fertilidade e também um símbolo para ela ser abençoada com abundância em seu matrimônio.
Durante a Idade Média, era costume que os convidados levassem pequenos bolos para os noivos. Cada um dos bolos era colocado sobre o outro para que os noivos tentassem se beijar sobre eles sem derrubá-los para dar sorte. Dessa forma curiosa, surgiram os bolos de noiva em andares.
Finalmente, no séc. XVII, na culinária francesa, surgiram os bolos de casamento mais parecidos com os que conhecemos atualmente: diversas camadas, recheios elaborados, ricas decorações e outros ornamentos.
E até hoje é mantido o ritual de dividi-lo entre familiares e amigos, compartilhando a alegria da nova aliança entre famílias e desejando boa sorte aos recém-casados.


Amêndoas

A tradição surgiu na Itália e em Portugal, onde os familiares e amigos se deliciam com as amêndoas para trazer sorte aos noivos. Reza a lenda, que cada convidado deve comer 5 amêndoas e cada uma tem um significado: Saúde, riqueza, vida longa, fecundidade e felicidade.

Cortar a gravata dos Noivos

É uma forma engraçada de levantar um dinheiro extra para os noivos. Padrinhos ou amigos vendem os pedacinhos da gravata em troca de uma pequena contribuição financeira, essa velha tradição está com os dias contados: - Não corte a gravata do noivo, faça uma “vaquinha”. Saiba mais

Lua de Mel

A palavra lua de mel tem sua origem nos casamentos por captura. Era assim: um homem apaixonava-se por uma mulher, capturava a amada (muitas vezes contra a sua vontade) e a escondia por um mês (de uma lua cheia até a outra) em algum lugar afastado. Durante esse período, eles bebiam uma mistura afrodisíaca, adocicada com muito mel, até que ela se rendesse à sua sorte. Daí o nome "lua de mel".

Noivo carrega noiva no colo

Este costume é oriental. Acredita-se que os gênios ruins (que atacam apenas as mulheres) ficam a espera da noiva na porta do quarto nupcial. O marido protege a esposa carregando-a, para evitar que ela "pise" em algo ruim. Algumas tradições acreditam em mau olhado, se a noiva cair à entrada da casa. Outras falam em azar se ela entrar com o pé esquerdo. Se o noivo levá-la no colo, evita esses dissabores. Uma explicação alternativa para o fato é que os anglo-saxões costumavam roubar a noiva e carregá-la nas costas.

Existem muitas tradições norteando o casamento, mas a tradição essencial e que traz realmente sorte e felicidade aos noivos é muito amor fundamentado no respeito e companheirismo. As demais são românticas e ilustram a página da história que ficará para sempre escrita em suas vidas.

Créditos http://www.casamentoecia.com.br/?option=com_cerimonias_home&content=outras&id=520

Um comentário:

Débora Soares disse...

Adorei a ideia da vaquinha. Eu estou negociando com meus padrinhos pois não queria fazer a brincadeira da gravata. Agora me falta arrumar um bom fotógrafo de casamento no Rio de Janeiro, e pensar nas lembrancinhas!!!

Últimas tendências da moda